Dia Internacional dos Museus

Dia Internacional dos Museus
Avalie este post?

“O museu é o lugar em que sensações, ideias e imagens de pronto irradiadas por objetos e referenciais ali reunidos iluminam valores essenciais para o ser humano. Espaço fascinante onde se descobre e se aprende. Nele se amplia o conhecimento e se aprofunda a consciência da identidade, da solidariedade e da partilha.” Esta é a definição de museu segundo o site do IBRAM – Instituto Brasileiro de Museus.

Assim, lembramos que hoje, dia 18 de maio comemora-se o Dia internacional dos Museus, data criada para sensibilizar o público geral para a importância dos museus na sociedade.  Os museus não são apenas guardiões do passado, são portas abertas à história e cultura do homem. Nos museus encontramos fragmentos do passado preservados, fazendo dos museus pontes que ligam e desligam mundos, tempos, culturas e pessoas diferentes.

O estado do Rio Grande do Sul tem o maior número de museus por habitante. Segundo o IBRAM, são mais de 390 museus espalhados por todo o território gaúcho. De acordo com o Ibram, a média nacional per capita é de um museu para cada 67 mil habitantes, porém no RS esta média é de 26,6 por habitante.

Dois dados chamam bastante atenção quando falamos dos museus gaúchos, primeiro é que mais de 80% tem sua entrada gratuita, segundo é que apenas 15% dos museus estão situados na capital Porto Alegre, o que oferece a qualquer viajante a possibilidade de encontrar e visitar um museu em qualquer região do estado para a qual viaje.

Uma das cidades gaúchas com maior número de museus é a cidade de Rio Grande. Berço do estado do Rio grande do Sul, a cidade foi a primeira fundada no estado, no dia 19 de fevereiro de 1737. Num breve passeio pelo centro da cidade, pode-se conhecer prédios históricos como o Prédio da Prefeitura Municipal, o Prédio da Alfândega, a Biblioteca, Catedral de São Pedro, mais antigo templo religioso do  RS, e a Biblioteca Rio-grandense.

Além de toda a história arquitetônica espalhada pela cidade, Rio grande oferece aos visitantes uma grande variedade de museus que possibilitam uma viagem no tempo e nas tradições.

 

Museu Oceanográfico “Prof. Eliézer de Carvalho Rios” – o maior museu oceanográfico da América latina. Fundado em 8 de setembro de 1953, o Museu Oceanográfico mantém uma exposição pública sobre a vida e a dinâmica dos oceanos, apresentada em painéis, maquetes e diversos equipamentos utilizados em pesquisas oceanográficas.

Museu Antártico – sua exposição mostra um pouco da vida no continente gelado e a presença do Brasil na Antártica. O prédio do Museu Antártico é uma reprodução das primeiras instalações da Estação Antártica “Comandante Ferraz” e está localizado anexo ao Museu Oceanográfico.

Eco-Museu da Ilha da Pólvora – Fundado em 1999 tem como objetivo  uma ação ambiental no sentido de dar uma  proteção mais eficaz do patrimônio natural e cultural da região.

Museu de Coleção de Arte Sacra e Capela São Francisco – O museu conta hoje com mais de 2 mil peças, entre  livros de registro da Colônia de Sacramento; ostensórios, resplendores e cálices de ouro, prata e pedras preciosas; crucifixos de jacarandá; móveis de devoção remanescentes dos séculos passados, como também livros sagrados, como bíblias, livros de oração e missais.

Museu Histórico da cidade do Rio grande – O museu da cidade guarda hoje os mais variados objetos relativos à pré-história e a história do município.

Museu Naval – Coloca à disposição dos visitantes a história e a ação da Marinha no extremo Sul do Brasil.

Museu Náutico –  seu acervo dispõe de embarcações, equipamentos de navegação, pesca e sinalização náutica, mapas e maquetes de acordo com os modernos princípios da museologia. Tem como finalidade resgatar, preservar e divulgar a cultura e o conhecimento náutico local.

Museu da Comunicação “Rodolfo Martensem” – este museu busca resgatar a memória da comunicação em suas diferentes vertentes. No seu acervo encontram-se coleções de discos, rádios e equipamentos de TV. A coleção de aparelhos de rádio impressiona pela diversidade, com vários modelos de diferentes épocas do século XX e alguns ainda em perfeito funcionamento.

Museu do Porto – No seu interior está a primeira locomotiva do DEPREC (Departamento de Portos, Rios e Canais) e o vagão-leito usado pelos técnicos e engenheiros da Compagnie Française du Port Rio Grande do Sul, para fiscalização das obras de construção dos Molhes da Barra e do porto da cidade, no início do século XX. Além de inúmeras fotos, mapas, jornais, cartas náuticas, livros-registro do porto, memoriais descritivos de obras e equipamentos de navegação.

Rio Grande é uma cidade histórica por nascimento e tradição, oferecendo aos seus visitantes a cultura e história do povo gaúcho, seja em seus prédios espalhados pelas ruas das cidades ou em sua grande e variada gama de museus.
Visite a cidade de Rio Grande e mergulhe na história do nascimento do estado do Rio Grande do Sul.

 

Adquira sua passagem online:
DACT:
http://www.datcriogrande.net.br/
PLANALTO:
http://www.planalto.com.br/site/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *