Dicas de Leitura para Viagem

Dicas de Leitura para Viagem

Dicas de Leitura para Viagem são sempre bem vindas!

Sem dúvida, ajuda a passar o tempo, entretendo ou servindo como uma passagem para uma viagem imaginária.

Certamente escolher um bom livro, ajuda você a enfrentar algumas horas de viagem de forma mais agradável e descontraída.

Já para quem gosta de viajar sozinho, o livro é sempre a melhor companhia dentro do ônibus…

Seja nos momentos de descanso, ou enquanto espera o ônibus na rodoviária.

Vamos embarcar nessa viajem de dicas para leitura???

Dicas de Leitura para Viagem: Sugestões de obras para ler na viagem

Cem dias entre céu e mar

Dica de Leitura para viagem: Cem dias entre céu e marNavegando ao lado dos peixes, entretendo conversas com gaivotas e tubarões, remando no meio de uma creche de baleias…

Cem dias entre céu e mar é o relato de uma travessia absolutamente incomum: mais de 3500 milhas (cerca de 6500 quilômetros).

Desde o porto de Lüderitz, no sul da África, até a praia da Espera no litoral baiano, a bordo de um minúsculo barco a remo.

De fato: este livro Amyr Klink transporta o leitor para a superfície ora cinzenta, ora azulada do Atlântico Sul.

Na natureza selvagem

Dica de leitura: Na natureza selvagem

Na natureza selvagem, de Jon Krakauer, autor do best-seller “No ar rarefeito”.

Resumidamente, o autor traz uma história real.

De acordo com a obra, o corpo em decomposição de um jovem é encontrado no Alasca.

A polícia descobre que se trata de um rapaz de família rica do Leste americano que largou tudo, se internou sozinho na aridez gelada e morreu de inanição.

Mas quem era o garoto? Por que foi para o Alasca? Por que morreu?

Para responder a essas e outras perguntas, Jon Krakauer refaz a trajetória de Chris McCandless.

Assim, revela a América dos que vivem à margem, pegando carona ou circulando em carros velhos, vivendo em acampamentos e cidades-fantasmas.

Mergulha no mundo da cidadezinha rural, onde homens rudes bebem e conversam sobre o tempo e a colheita.

Compara a história do jovem com a de outros aventureiros solitários que tiveram fim trágico.

Em suma, o resultado é uma narrativa envolvente, por vezes amarga…

Mas que nos sonhos da juventude se transformam em pesadelo.

Comer, rezar, amar

Livro Comer, rezar, amar

Elizabeth Gilbert estava com quase trinta anos e tinha tudo o que sempre quis…

Primeiramente, um marido apaixonado, uma casa nova e espaçosa, o projeto de ter filhos e uma carreira de sucesso.

Mas ao invés de sentir-se feliz e realizada, sentia-se confusa, triste e em pânico.

Por conseguinte, enfrentou um divórcio, uma depressão debilitante e outro amor fracassado.

Até que decidiu tomar uma decisão radical: livrou-se de todos os bens materiais, demitiu-se do emprego, e partiu sozinha para uma viagem de um ano pelo mundo.

O objetivo de Gilbert era visitar três lugares onde pudesse examinar aspectos de sua própria natureza.

Logo, tendo como cenário uma cultura que, tradicionalmente, fosse especialista em cada um deles.

Assim, decidiu explorar a arte do prazer na Itália, a arte da devoção na Índia, e, na Indonésia, a arte de equilibrar as duas coisas.

Escrito com ironia, humor e inteligência, o best-seller de Elizabeth Gilbert é um relato sobre a importância de assumir.

Também, sobre a responsabilidade pelo próprio contentamento e parar de viver conforme os ideais da sociedade.

É, portanto, um livro para qualquer um que já tenha se sentido perdido.

Ou até mesmo pensado que deveria existir um caminho diferente, e melhor.

Trilhando Sonhos: 365 dias de bicicleta pela América do Sul

Trilhando Sonhos para ler na viagem

Thiago Fantinatti sonhava conhecer o vasto continente Sul-Americano sobre as duas rodas de uma bicicleta, de modo independente e sem pressa.

Todavia, queria seguir do Atlântico ao Pacífico, dos Pampas ao Atacama, dos Andes à Amazônia

Mas um ano depois e mais de 15.000 km pedalados, ele havia conseguido!

Em Trilhando Sonhos, o intrépido viajante não só recorda sua grande aventura como também se deixa levar pelas lembranças e anotações.

Contudo, não é fácil observar-se a si mesmo, quem dirá colocar em palavras aquilo que vislumbrou.

Mas aqui, com honestidade e simplicidade, o autor narra momentos, pessoas e lugares.

Além de refletir sobre sua própria condição de ser vivente, está disposto a conhecer a qualidade do seu dia.

Bem como no daqueles que encontrou pelo caminho…

Dicas de Leitura para Viagem

Programe sua viagem, garanta sua passagem, faça as malas, escolha seu livro e desfrute de momentos inesquecíveis.

Tu sabias que hoje é o Dia Mundial da Fotografia?

Tu sabias que hoje é o Dia Mundial da Fotografia?

É fato que fazer fotografia em uma viagem é parte fundamental de um passeio.

Frequentemente, você programa sua viagem, compra a passagem com antecedência, organiza as malas e define o seu roteiro.

Mas é claro, não pode esquecer aquela sua câmera fotográfica à tira colo para todo o lugar onde vai.

Então nada melhor no Dia Mundial da Fotografia, do que algumas dicas  de um grande fotografo de Porto Alegre, o Frederico Mombach.

Comemorando o Dia Mundial da Fotografia

Sem dúvida, registrar uma viagem é parte complementar da mesma.

Em síntese, a fotografia serve para registrarmos cada momento vivido…

Então, seja aquele pôr-do-sol sublime, seja a fachada de um prédio antigo ou uma selfie.

As fotografias nos ajudam a nossa visão do mundo, a formar como o vemos e como queremos eternizá-lo em nossas vidas.

Porém, esta diversão só é possível nos dias atuais. Pois, no dia 19 de agosto de 1839 a tal fotografia foi apresentada ao mundo pelo seu criado o francês Louis M. Dauguérre.

Aproveitando o ensejo do Dia Mundial da Fotografia, Mombach separou algumas dicas sobre como fazer melhores registros da sua próxima viagem:

1 – Planejamento

Primeiramente, faça uma busca simples na internet e estude o local que você vai visitar.

Ainda assim, veja algumas fotos já tiradas neste local e se inspire.

Da mesma forma, conheça quais sãos os principais pontos turísticos da cidade, como chegar até eles

Bem como, procure também saber qual é a previsão do tempo para o período em que você estará viajando.

2 – Roteiro

Faça uma pequena lista dos lugares que você pretende conhecer durante a viagem.

Certamente, isso evita correria e indecisão, otimizando seu tempo. Estude estes locais e estude se é melhor fotografar o passeio com a câmera ou com o celular.

3 – Seja prevenido

Confira seu equipamento antes de sair para o passeio.

Assim, recarregue a bateria do celular e da câmera e verifique que se o cartão de memória tem espaço suficiente.

Logo, você evita ficar sem bateria ou espaço para mais fotos.

Uma dica é levar uma bateria extra no caso do passeio ser muito longo.

Bem como, fazer um backup das suas fotos ao final de cada dia, garantindo que nenhuma imagem se perca durante sua viagem.

4 – Aproveite o caminho

Está a caminho daquele ponto turístico badalado?

E que tal aproveitar e fotografar também a estrada e o caminho que te levam até lá?

De antemão, olhe pela janela e aprecie a paisagem do caminho, isso pode garantir fotografias bem interessantes.

5 – Olhe com atenção

Quando chegar ao seu destino dedique-se primeiramente a sentir o local, olhe cada detalhe.

Aprecie com tempo e paciência, isso vai garantir que suas fotos sejam mais belas.

Lembre-se que as grandes fotografias são carregadas de sentido.

Escolha aquele detalhe que mais te chama atenção.

Fotografias que demonstram sentimentos são sempre as mais belas.

Dica: uma boa fotografia vale mais do que 10 fotografias repetitivas e sem sentido.

6 – Paciência

Tenha paciência, um novo lugar sempre tem ângulos a serem explorados.

Olhe cada detalhe, uma fotografia bela nasce devagar.

É preciso de um tempo para adaptar seu olhar ao local e paciência para se adaptar a câmera.

Dica: brinque um pouco com a câmera, faça fotos antes de sair para o passeio.

Ddescubra as funcionalidades da sua câmera, isso facilita sua vida durante o passeio e garante bons resultados.

7 – Novos Ângulos

Busque novos ângulos, isso é fácil, simples e pode ser bem divertido.

Ângulos inusitados, que poucas pessoas arriscam podem garantir fotos muito interessantes, divertidas e exclusivas.

8 – Aproveite a Luz

Imagina viajar para conhecer novos lugares e ficar dormindo no hotel até meio-dia?

Acorde cedo, saia para rua e aproveite a luz do dia.

Entre o nascer do sol e as 10h da manhã a luz é mais suave, assim como entre as 15h e final da tarde.

Nos horários de sol alto as cores ficam mais destacas.

Assim, o pôr do sol também pode proporcionar uma luz diferente, ressaltando as sombras e garantindo fotografias lindas.

9 – Olhe para os lados

Lugares diferentes apresentam uma arquitetura única, seja clássica, moderna, barroca ou futurista.

Certamente, a arquitetura do lugar é sempre interessante e peculiar.

Portanto, olhe com atenção para os prédios e casas pelos quais você passa.

Sem dúvida, alguma fachada ou detalhe irão lhe chamar atenção e garantir uma bela e diferente fotografia.

Dica: aproveite para conhecer os mercados, feiras, prédios antigos e mais modernos de cada lugar.

Além de garantir belas fotografias, estes lugares guardam um pouco da história da cidade que você está visitando.

10 – Diga X

Lembre-se que você é quem está viajando, aproveite a viagem para brincar nas fotografias.

Use roupas e acessórios locais ou diferentes daqueles que você usa no dia-a-dia, sorria e brinque para as fotografias.

Além de garantir belas imagens de recordação, você com certeza irá se divertir muito.

11 – Sorria

Se você estiver viajando com mais pessoas, família ou amigos, aproveite para fazer fotografias em grupo.

Todavia, busque lugares com pequenos degraus ou escadas para que todos apareçam na foto.

Ângulos novos também são interessantes, tirar fotos de cima, ou colocar a câmera em lugares mais baixos podem garantir fotos bem divertidas e diferentes.

Descubra AQUI  a dica de alguns dos melhores APPs de fotografia que existem, e aproveite sua próxima viagem registrando momentos incríveis e inesquecíveis.

 

Conheça a cidade de Caçapava do Sul

Conheça a cidade de Caçapava do Sul

Caçapava do Sul é considerada uma das cidades mais antigas do Rio Grande do Sul.

A saber, seu território fica localizado na Região da Campanha do estado.

Vamos conhecer um pouco mais sobre Caçapava do Sul?

A história

O território onde hoje se localiza a cidade de Caçapava do Sul, foi habitado por Índios charruas até o século XVIII.

A princípio, nessa época foi criado um acampamento militar onde antes havia uma aldeia charrua numa clareira da floresta.

Já no ano de 1777, este acampamento recebeu o nome de “Paragem de Cassapava”, que do Tupi Guarani significa “Clareira na Mata”.

Porém, somente no dia 25 de outubro de 1831 o município foi elevado a categoria de Vila.

Já em 09 de dezembro de 1885, foi promovido à cidade de Caçapava do Sul.

Revolução Farroupilha

A história de Caçapava é marcada por lutas entre portugueses e espanhóis.

Todavia o combate durou por muito tempo no continente de São Pedro.

Mas devido sua localização privilegiada, Caçapava tornou-se a 2ª Capital Farroupilha.

Tal fato ocorreu em 09 de janeiro de 1839 (até 30 de maio de 1840).

Nesta ocasião, o Presidente Farroupilha Bento Gonçalves decidiu transferir a capital de Piratini para uma outra acidade mais próxima do centro de operações e defensável.

O que fazer em Caçapava do Sul?

Casa dos Ministérios

A Casa do Ministérios trata-se de um construção que pertenceu a José Pinheiro de Ulhoa Cintra.

A saber, o personagem era ministro de diversas pastas da república Rio-grandense em 1839.

Segundo registros, a data referia-se a quando a cidade de Caçapava tornou-se capital Farroupilha.

Conheça a cidade de Caçapava do Sul - Cada dos Ministérios

Centro Municipal de Cultural Arnaldo Luiz Cassol

Em síntese,  o centro foi construído em 1935, durante o Centenário da Revolução Farroupilha.

Atualmente, abriga a Biblioteca Pública Domingos José de Almeida, o Arquivo Histórico e o Museu Lanceiros do Sul.

Forte Dom Pedro II

De antemão, o forte foi construído na forma de polígono hexagonal com paredes de pedra e cal.

Da mesma forma foi erguido no ano de 1848, num ponto estratégico militar.

Assim também foi considerado uma das fortificações mais importantes do estado.

Todavia, suas muralhas se localizam num ponto elevado nos limites do centro urbano da cidade.

Conheça a cidade de Caçapava do Sul - Forte Dom Pedro II

Igreja Matriz Nossa Senhora da Assunção

Localizada na Praça Dr. Rubens da Rosa Guedes, construída em 1815 é considerada uma das mais belas igrejas do estado.

Cascata do Salso

Queda d’agua com mais de 20m de altura, está entre montes cobertos de mato.

Logo, fica distante 8km do centro da cidade. Na sua parte superior fica a barragem de cimento da antiga hidrelétrica.

Conheça a cidade de Caçapava do Sul - Cascata do Salso

Pedra do Segredo

A saber, a Pedra Segredo fica distante de Caçapava do Sul cerca de 5 quilômetros pela RS-357.

Contudo, o local é muito procurada por montanhistas e amantes da natureza

Gostou de conhecer a cidade de Caçapava do Sul?

Aproveite e visite a cidade!

São Sepé e a chama que nunca apaga

São Sepé e a chama que nunca apaga

O município de São Sepé, guardião da chama que nunca se apaga, fica localizado na região central do Rio Grande do Sul.

A saber, a cidade pertence à microrregião geográfica de Santa Maria.

Portanto, São Sepé fica à 265 quilômetros da capital Porto Alegre.

Partiu conhecer São Sepé?

rodosoft-sao-sepe-01

A História de São Sepé

A região onde hoje se localiza a cidade foi inicialmente ocupada por índios Guaranis chefiados pelo cacique Sepé Tiarajú.

A princípio, pertenceu à cidade de Rio Pardo até o ano de 1809, quando passou a ser parte do município de Cachoeira do Sul.

São Sepé teve sua emancipação após muitas lutas, dentre elas a que buscava a construção da tão sonhada Capela de Nossa Senhora da Conceição.

Enfim, teve sua autorização apenas no ano de 1846.

Já no ano de 1850, o povoado de São Sepé foi elevado a categoria de Freguesia.

Dessa forma, passou a categoria de município apenas em 29 de abril de 1976.

O que conhecer em São Sepé, além da chama que nunca se apaga?

Cascata da Pulqueria

Primeiramente, a Cascata da Pulqueria possui um espaço de 21 quilômetros.

Aliás, o local é onde se encontram pequenas sequencias de quedas d’água e corredeiras.

Assim, oferecem um belo espetáculo natural a quem visita o local que fica a 10 quilômetros do centro da cidade.

rodosoft-sao-sepe-03

Fonte da Bica

Primordialmente, a Fonte da Bica era o local de abastecimento de água dos primeiros habitantes da cidade.

Atualmente, se atribui à sua água poderes mágicos dizendo que quem dela beber retornará à cidade.

Fogo de Chão de São Sepé

São Sepé é famosa por hospedar a chama que nunca se apaga.

A saber, há mais de 200 anos o fogo de chão é mantido aceso no interior da Fazenda Boqueirão.

Assim, ao redor deste fogo, os gaúchos lidavam com o gado e se aqueciam contra o frio.

Todavia, aproveitavam para cultivar a cultura de passar o chimarrão de mão em mão.

A família Simões Pires, na sua sexta geração, mantém esse fogo de chão permanentemente aceso.

A chama que nunca se apaga é alimentado por toras de madeira de lei chamadas guarda-fogo.

Fazenda Boqueirão em São Sepé

A propriedade está localizada no distrito de Vila Block, na área rural da cidade de São Sepé.

Em síntese, se tornou centro de romarias nativistas e tradicionalistas que cultuam a chama que não se apaga.

rodosoft-sao-sepe-04

Centro Cultural Diolofau Brum

O centro abriga a Biblioteca Pública com mais de 20 mil exemplares, o Museu Municipal e o Auditório com 166 lugares.

Praça das Mercês

Um dos principais pontos turísticos da cidade, a Praça das Mercês já foi eleita a mais bela praça do Estado.

Tão antiga quanto a própria cidade, foi em torno da praça e da igreja de Nossa Senhor das Mercês o início do povoamento do município.

Estátua do Índio

A estátua do Índio fica localizada na entrada da cidade, possuindo estrutura em sucatas de ferro e lembra a figura do índio Sepé Tiaraju.

Foi esculpida pelo escultor natural de São Sepé, Zeca Teixeira.

Gruta do Marco

Já a Gruta do Marco fica localizada da 15 quilômetros da cidade.

Logo, seu espaço interno possui 4 metros de altura e 30 metros de comprimento, trazendo consigo inúmeras lendas e tradições misteriosas.

Acesso à São Sepé e a chama que nunca apaga

Quer ir até São Sepé e conhecer a tradição do Fogo de Chão?

A saber, a viagem de carro leva pouco mais de três horas.

Mas se você pretende ir sem se preocupar com o trânsito, venha ônibus, mas não perde esta oportunidade!

Cuidados especiais com mulheres grávidas na viagem

Cuidados especiais com mulheres grávidas na viagem

Para você futura mamãe que está organizando uma viagem, veja alguns Cuidados especiais com mulheres grávidas na viagem.

De fato, mulher grávida pode e deve viajar sim, salvo se houver alguma orientação diferente do médico que acompanha a gestação.

Todavia, cabe atentar para alguns cuidados para que a viagem seja inesquecível.

Vamos saber mais…

Cuidados especiais com mulheres grávidas na viagem

Inegavelmente, a gestação é um momento sublime na vida de toda mulher, é a realização de um sonho.

Nesse ínterim, trata-se de nove meses de ansiedade e sorrisos.

E, é claro que a vida não pode parar neste período, mas muitas mulheres grávidas ficam na dúvida no momento de programar uma viagem.

Mas com muita calma, basta estar atenta e tomar todos os cuidados necessários para que a viagem seja agradável para a mamãe e para o bebê.

Então, veja algumas dicas que podem deixar a viagem da futura mamãe mais tranquila e segura.

Programe-se

Antes de mais nada, a recomendação inicial é conversar com o médico sobre o plano de realizar uma viagem.

Certamente, ele irá perguntar qual o destino, a forma e as atividades que compõe o roteiro de interesse.

Provavelmente, o especialista irá solicitar que sejam realizados os exames de rotina para ter certeza de que gestante e bebê estão bem.

Ainda em tempo, é válido lembrar que gravidez pode propiciar por momentos peculiares, como enjoos, câimbras, dores nas pernas e nas costas.

Logo, é importante solicitar ao médico os cuidados e medicamentos que podem ser utilizados nestes casos.

Sendo assim, a dica é atender as solicitações do médico, bem como, seguir todas as instruções passadas por ele.

http://www.rodosoft.com.br/wp-content/uploads/2019/07/rodosoft_gravida_viagem01.jpg

Organize-se

Após estar devidamente liberada pelo médico, mãos a obra.

Primeiramente, providenciar compras de passagens, reservas de hospedagens, entre outros itens que devem ser garantidos com antecedência.

Então, organizar as malas é algo que deve ser feito com toda a calma do mundo.

Portanto, com alguns dias de antecedência, é bom começar a listar os itens que devem compor as malas.

  • documentos,
  • medicamentos,
  • roupas leves e confortáveis,
  • petiscos saudáveis para consumir durante a viagem.

Desta forma é possível reduzir a possibilidade de contratempos diminuindo a ansiedade, e possibilitando que fazer uma viagem mais tranquila e relaxada.

http://www.rodosoft.com.br/wp-content/uploads/2019/07/rodosoft_gravida_viagem03.jpg

Durante a viagem

Normalmente, mulheres grávidas precisam ter uma atenção redobrada durante o trajeto de uma viagem, assim, poderá evitar o desconfortos como inchaço nos pés.

Portanto, é recomendável se movimentar durante o trajeto.

Para viagens de carro, a dica é planejar algumas paradas estratégicas.

Já para viagens de ônibus, a dica é aproveitar as paradas programadas do itinerário.

A princípio, mulheres grávidas precisam ir ao banheiro muitas vezes, para facilitar isso, uma sugestão é ocupar uma poltrona no corredor para viagens de ônibus.

É importante também manter-se hidratada, beba muita água e fazer pequenas refeições, frutas e petiscos saudáveis são a pedida durante uma viagem.

O cinto de segurança é um item obrigatório para qualquer passageiro e tipo de transporte, então basta posicionar o cinto de maneira confortável.

No destino

Semelhantemente, o destino das grávidas também exigem alguns cuidados específicos após o trajeto de viagem.

Primeiramente, não carregar malas pesadas é um deles, pois fazer força pode trazer problemas a sua coluna e ao bebê.

Descanso e uma alimentação equilibrada também são fundamentais para recuperar as energias gastas durante a viagem.

Aliás, evitar longas caminhadas, tomar cuidado com o sol, hidratar-se sempre, também fazem parte da lista de cuidados.

Atentando para estes pequenos cuidados, basta colocar uma roupa confortável, pegar seu roteiro de viagens, sua câmera fotográfica e aproveitar o passeio.

Cuidados especiais com mulheres grávidas na viagem

 

Cidade das Rosas – Conheça Sapiranga

Cidade das Rosas – Conheça Sapiranga

Cidade das Rosas – Conheça Sapiranga, antigo distrito de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul.

A saber, Sapiranga ainda mantém suas origens germânicas da cultura alemã na agricultura, culinária, indústria e comercio.

Sem dúvida, marcos importantes da cidade trazidos originalmente pelos imigrantes.

Um pouco da história de Sapiranga

Inicialmente, os primeiros imigrantes alemães teriam chagaram a cidade em 25 de julho de 1824.

Todavia, cabe salientar que, antes de sua emancipação, Sapiranga era denominada um distrito de São Leopoldo.

Aos poucos, os imigrante alemães começaram a dar sua cara a região, vindo a tona sua cultura em geral.

Assim, devido as gerações mais antigas que não falavam, nem entendiam o português, as escolas da região ensinavam a língua germânica como uma segunda língua.

No transcorrer do tempo, Sapiranga emancipou-se em 28 de fevereiro de 1955.

A princípio, o cultivo de rosas era uma constante na região, fato este que teria sido o motivo para a cidade ficar conhecida como a “Cidade das Rosas”.

Curiosidades

Os Muckers

Historicamente, Sapiranga é marcada pelo episódio conhecido como “ Os Muckers”.

A saber, este foi um dos momentos mais conturbados da história de Sapiranga, quando no final do século XIX, Jacobina Mentz e seu marido João Maurer fundaram uma seita religiosa sediada no Morro Ferrabráz, sob o nome de “Muckers” (em alemão significa falso santo).

Aliás, Jacobina sofria de ataques epiléticos, isto fazia com que ela fosse vista como vítima de um transtorno nervoso, agravados por leituras de natureza religiosa.

João Maurer realizava curandeirismo, e era auxiliado por sua esposa Jacobina que aos poucos foi misturando a religião no atendimento dos doentes, o que a tornou famosa por suas meditações milagrosas.

Habitantes da região realizaram um abaixo-assinado buscando uma posição da imprensa local da época, contra Jacobina.

Com isto surgiram diversos conflitos entre os grupos contra e a favor de Jacobina, o que acarretou em violência e morte.

Porém em agosto de 1874 um traidor chamado Pedro Serrani, levou as forças policiais até o esconderijo de Jacobina que foi morta junto com a maioria dos Muckers.

Festa das Rosas

Nesse contexto, devido a fama de Cidade das Rosas, o município deu início a um grande evento com este tema, no ano de 1966.

Deste então, a festividade ocorre anualmente, no Parque Municipal do Imigrante, sendo um tremendo sucesso de visitação.

A saber, a festa conta com a escolha de uma rainha e duas princesas, símbolos de beleza da cidade e receptoras dos visitantes da festa.

Sem dúvida, a rosa é a atração principal e é encontrada em todos os lugares da festa para tornar especial o principal evento do município.

Balneários

Balneários

O município de Sapiranga é banhado pela bacia do Rio Feitoria, contando com várias cataratas e cachoeiras em seu território.

este cenário também conta com diversos balneários que se tornaram pontos turísticos da cidade como a Cascata dos Deberofsk

Morro Ferrabraz

Morro Ferrabraz

Já o Morro Ferrabraz é formado por rochas de origem vulcânica e sedimentar.

Surpreendentemente, o morro tem 779 metros de altura, localizados na região norte da cidade.

Inegavelmente, o local é um dos principais pontos turísticos da cidade, muito utilizado na pratica do voo livre, e moutain bike.

Caminhos de Jacobina

Caminhos de Jacobina

Definitivamente, o Caminho de Jacobina é um ponto turístico muito famoso na cidade de Sapiranga.

A princípio, foi criado para que as pessoas pudessem conhecer mais sobre o episódio dos Muckers.

Em tempo, no seu roteiro estão o cemitério que mantém túmulos de quatro moradores da região, mortos nos conflitos do episódio.

Além do cemitério encontram-se no caminho de Jacobina:

  • Estátua de Cel. Genuíno Sampaio,
  • Cruz de Jacobina erguida no começo do século XIX, no local onde acreditasse que Jacobina tenha sido assassinada.

Cidade das Rosas – Conheça Sapiranga

Realmente, Sapiranga é um local rico de beleza e cultura.

Então, vem visitar a cidade e aproveitar para fazer lindo e inesquecíveis passeios.

A paz em Três Coroas

Um dos lugares mais enigmáticos e visitados no Rio Grande do Sul é a pequena cidade de Três Coroas, na Serra Gaúcha. Emoldurada por montanhas, pelo Rio Paranhana e seus afluentes, Três Coroas possui uma área de 166 Km² e localiza-se na Encosta da Serra Gaúcha, a maior rota turística do Rio Grande do Sul.

Onde fica: Distante 92 Km de Porto Alegre e 20 Km de Gramado, tem sua entrada principal através da rodovia RS 115, que liga o município de Taquara à Região das Hortênsias, e acesso secundário pela RS 020, que liga Taquara à São Francisco de Paula.

Colonizada por alemães que chegaram a região no século XIX, provenientes de São Leopoldo, seguidos por imigrantes portugueses e italianos que juntos deram origem a esta magnifica cidade. Três Coroas é palco de uma diversidade cultural que impressiona por sua harmonia. As diversas etnias que buscam prosperar nesta terra produzem riquezas nas tradições, costumes, idiomas, gastronomia e traços arquitetônicos do município.

Banhada pelas águas do Rio Paranhana e rodeada de montanhas que ainda guardam mata nativa preservada, o município também é conhecido como “Cidade Verde”.

Museu  Armindo  Lauffer

O museu guarda parte da história da cidade, através de objetos e documentos dos tempos dos primeiros habitantes da região. Hoje o museu é um dos mais completos acervos sobre a colonização europeia no Rio Grande do Sul.

Templo Budista

O centro Budista Chagdud Khado Ling é uma das principais atrações de Três Coroas, localizado em um lugar privilegiado, e emoldurado por uma paisagem inspirados, transmitindo paz aos seus visitantes.

Fundado em 1998 pelo mestre Chagdud Tukku Rimpoche, um grande mestre do budismo tibetano, que buscou transformar o local em um ambiente para todas as pessoas, independente de crenças religiosas.

O passeio no local, deve ser feito com calma, para que se possa contemplar a beleza do local, e a sintonia entre cor, forma e paisagem. Localizado no alto das montanhas da Estrada de Águas Brancas, este é o maior templo tibetano da América do Sul.

Todos são bem-vindos e não é cobrada entrada. É preciso, no entanto, seguir as regras do lugar e respeitar os moradores do Centro Budista e seus rituais e rotinas. Nos domingos também é possível acompanhar trabalhos e celebrações budistas.

Decks do Rio Paranhana

O conjunto de decks construídos junto as margens do Rio Paranhana, possibilitam aos visitantes observar e contemplar a imagem que se tornou símbolo da cidade: as corredeiras de águas cristalinas do rio inquieto.

Ponto Coberta

A ponte histórica atravessa o Rio Paranhana e localiza-se na rua Mundo Novo, no centro da cidade de Três Coroas.

Parque das Laranjeiras

O parque oferece infraestrutura completa para camping e lazer, um dos lugares preferidos para quem procura descanso e contato com a natureza.

Localizado a 15km do centro da cidade o parque oferece atividades como rafting e trilhas ecológicas. Além dos esportes radicais como raftingarvorismo e tirolesa, o Parque das Laranjeiras tem churrasqueiras, espaço de convivência junto ao rio e espaço para camping (com banheiros com chuveiros e área gramada).

Fotos: Site Prefeitura Três Coroas

Campina das Missões, cidade onde o gaúcho fala russo.

A pequena cidade de Campina das Missões está localizada na região Noroeste do estado do Rio Grande do Sul, a 534 km da capital. A cidade tem pouco mais de 6 mil habitantes, na sua maioria descendentes de alemães e russos.

 

E é considerada a maior colônia de descendentes russos do estado, vindos da Sibéria, e dedicam-se a manter costumes, fé e cultura. No inicio o povo russo teve dificuldade em acostumar-se com o tempo quente e com o plantio para sobrevivência, mas com a vinda do povo alemão, mais acostumado com o calor e experientes com a agricultura. A integração entre os povos foi fundamental para o sucesso e progresso do lugar.

Turismo

Igreja Matriz Nossa Senhora do Bom Conselho, localizada na avenida Santa Rosa. Constantino Heinzmann desenhou a planta, além de dirigir a sua construção. Construída em 1919, possui riqueza de detalhes, tem uma torre característica e contou com a prestação de serviços das famílias da época.

 

 

 

Eventos

A cada 2 anos é realizada a Feira da Agricultura Familiar, Indústria e Comércio. É uma importante feira regional e conta com várias lideranças locais, regionais e estaduais, além de empresários, principalmente no setor do Agronegócio.

Associação Teuto Brasileira Santa Cecilia, fundada em 1991 e congrega descendentes de imigrantes alemães que desbravaram o município no início do século passado. O município tem aproximadamente 80% dos moradores com descendência alemã. Entre outras manifestações culturais a Associação mantem o grupo folclórico Grunerthal Tanzgruppe, com brilhantismo apresenta danças folclóricas em toda região.

Grupo Folclórico Russo Troyka foi fundado em julho de 1992 e é mantido pela Associação Cultural Russa Volga do Brasil. Representa a etnia russa, divulgando os usos, costumes, tradições, enfim as danças alegres e vibrantes do fascinante folclore russo, sendo o único no Estado e do Sul do Brasil, no gênero.

 

Os encantos de Guaporé

A cidade do interior que cresceu e tornou-se o maior polo de lingerie da região sul, hoje tem 25 mil habitantes e mais de 140 fabricas de moda intima e moda fitness.

Guaporé é uma cidade com forte influencia da colonização italiana, está localizada a 280km da capital do estado, no caminho entre as cidades de Lajeado e Passo Fundo.

Como polo sul de lingerie, Guaporé atende o mercado interno e o mercado internacional, sendo um dos maiores exportadores de lingerie do país.

Além das confecções, Guaporé é um polo de semi-jóias, com centenas de fabricantes. Desde as mais pequenas empresas familiares até grandes empresas exportadoras das lindas peças confeccionadas na região.

Como se não bastasse ser um grande centro para o turismo de compra, Guaporé ainda tem seus encantos naturais como cascatas, grutas, trilhas, caminhadas nos trilhos do trem e passeios de maria fumaça.

O Viaduto Mula Preta, na divisa dos Municípios Guaporé e Dois Lajeados, têm uma altura de 98m, e uma paisagem belíssima. Um obra da engenharia militar, o espaço é para contemplação da paisagem.

 

Vale lembrar que a região faz parte da Rota Romântica e da Rota da Uva e do Vinho. A cidade abriga 3 vinícolas e no mês de junho promove feira de vinhos no shopping da cidade.

Feiras

Nos dois primeiros finais de semana de agosto, acontece a maior feira de lingerie e semi-jóias do estado, atraindo milhares de participantes e compradores.

Em outubro tem a tradicional Chuva de Ofertas, período em que diversos lojistas e empresários do ramo gastronômico/hoteleiro oferecem descontos.

Pontos Turísticos

Autódromo: Um dos pontos turísticos mais visitados na cidade e que atrai milhares de fãs é o O Autódromo Internacional Dr. Nelson Luiz Barro, inaugurado em 21 de dezembro de 1969 (pista de terra) e 17 de outubro de 1976 (pista asfaltada). Tem 9 curvas (5 direita, 4 esquerda) e 3,080km de comprimento. O Autódromo está localizada dentro de uma área de 90 hectares, oferecendo aos apaixonados pelo automobilismo área de camping e muitas opções de lazer, como parques de recreação infantil, além de infraestrutura adequada, com banheiros, áreas de estacionamento, restaurante, bares e claro um excelente atendimento.

Morro do Cristo: Construído em 1967, tem 13 metros de altura, ostentado em um pedestal de 07 metros, situado a 741 metros da montanha mais alta do município e é considerado o monumento simbólico de nossa comunidade. Na subida ao morro encontra-se a Via Sacra, com suas quatorze estações, onde na, Sexta – Feira Santa, é realizado o maior evento religioso da região, ou seja, a Procissão da Paixão de Cristo.

Fotos: Prefeitura de Guaporé

 

Lajeado e seus encantos naturais

Lajeado é uma pequena cidade do interior do Rio Grande do Sul. Mas seus índices de desenvolvimento e qualidade de vida são maiores do que muitas capitais. A cidade foi eleita em 2017 pela FIRJAN como o 13.° lugar no ranking de cidades mais desenvolvidas do Brasil e apontada como a 7ª melhor cidade para se viver após os 60 anos em cidades entre 50 e 100 mil habitantes, ocupando o primeiro posto dentre os municípios gaúchos, de acordo com pesquisa da Fundação Getulio Vargas.

A cidade fica a 112 km de Porto Alegre, colonizada por alemães e ainda mantém a cultura, idioma e culinária dos descendentes. Mas os principais pontos turísticos da cidade são parques e praças em meio a natureza.

Parque Dick

 

Jardim Botânico

Apontado como um dos mais belos jardins botânicos do país, o jardim de Lajeado tem na área de 26 hectares mais de 230 espécies vegetais. Além das plantas, o local abriga algumas espécies de animais como esquilos e lontras que se refugiam em meio à vegetação. No local, também há a presença de duas cascatas que enchem os olhos dos visitantes e servem de conteúdo para quem busca o local para realizar estudos.

O Jardim Botânico de Lajeado funciona diariamente e aceita reservas para grupos de estudo e para quem deseja realizar trilhas orientadas.

Parque Histórico

Lajeado é um município de colonização alemã, e quem deseja saber mais sobre a cultura e visualizar a arquitetura enxaimel deve dirigir se, sem dúvidas, ao Parque Histórico da cidade. O acesso ao local é feito de forma gratuita.

Práticos típicos da culinária alemã, histórias sobre a colonização, e arquitetura típica estão garantidos no passeio. O parque fica localizado ao lado do Parque do Imigrante, no qual diversas festas e eventos tradicionais também são realizados frequentemente.

Ciclovia de Lajeado

O trajeto de 1 km é passeio obrigatório para os amantes das bikes e dos passeios ao ar livre, que passam por Lajeado. Além da faixa destinada à prática do ciclismo, o local oferece uma vista privilegiada, já que o local faz o contorno do Rio Taquari.

A ciclovia que leva o nome do piloto Airton Senna da Silva também oferece diversas opções de bares e restaurantes às margens do rio. Caminhadas e passeio pela sombra de árvores também estão garantidos para quem visitar a ciclovia.