Foi publicado na Zero Hora

Foi publicado na Zero Hora
Avalie este post?

Matéria de João Vitor Novoa
(joao.novoa@zerohora.com.br)
02/09/2013 | 19h29

O primeiro terminal de autoatendimento do Estado será inaugurado no próximo dia 10, em São Leopoldo. O projeto, que já deveria ter sido lançado há pelo menos dois meses, mas foi atrasado por diversas vezes em virtude de mudanças no projeto inicial, contratempo com a empresa que fabrica o software e, recentemente, em decorrências das enchentes que afetaram o Vale do Sinos, finalmente vai sair do papel. Semelhante a um caixa eletrônico de banco, o terminal de autoatendimento seria um dos primeiros do país, segundo o DAER, mas funciona em vários países da Europa e dos Estados Unidos com tamanha eficiência, que foi copiada até por outros setores, como o de supermercados.

Na Irlanda, por exemplo, metade dos caixas da rede Tesco são eletrônicos. Aceitam cartões e dinheiro. Mas a semelhança do projeto do DAER (Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem) com os europeus e norte-americanos para por aí. O diretor de transportes do órgão, Saul Sastre, diz que o projeto foi baseado na facilidade dos usuários do catamarã, da empresa Catsul, em adquirir bilhetes, e de uma experiência João Vitor Novoa joao.novoa@zerohora.com.br realizada no Centro-Oeste.

— Percebemos que em Goiânia a prefeitura fez uma parceria com uma empresa que deu muito certo. Eles monitoram, através de GPS, todo o fluxo de passageiros, sabem até se há algum usuário com deficiência, por exemplo. Mas eles não têm terminais de venda eletrônicos, os passageiros só podem comprar em guichês comuns. Em lugares mais desenvolvidos, por outro lado, essa cultura “eletrônica” é muito mais comum. Como vimos que a compra de tíquetes do catamarã está sendo bem aceita pela população, pensamos: “por que não colocar em todas as cidades do Rio Grande do Sul, principalmente nas que não possuem estações rodoviárias?” — indagou Sastre.

Atualmente, segundo dados do DAER, há 274 municípios sem estações rodoviárias no Estado. Eles seriam os maiores beneficiados pelos terminais de autoatendimento. A empresa que vencer a licitação dos terminais e o DAER instalariam um exemplar na cidade que fez a solicitação. A preferência é por um local de grande movimento, como um centro de compras, uma agência bancária ou um hotel. Nas grandes cidades, os shoppings são os pontos-alvo.

— Até o final de setembro, teremos 100 contratos de licitação sendo assinados. Há ainda outros 174 que serão negociados até o final do ano. Contudo, alguns municípios muito pequenos, que historicamente sofrem com a falta de investidores, poderão ter esses terminais. Os usuários não precisarão ir a outra cidade tentar comprar um bilhete, sob o risco de não conseguir mais. Queremos facilitar o processo de compra. Queremos que as rodoviárias sejam locais de embarque, assim como os aeroportos — avaliou o diretor do DAER.

Em São Leopoldo, a concessionária da estação rodoviária do município, a Cerveira e Cia Ltda., comemora a instalação em seu local de administração do protótipo do terminal de autoatendimento e prevê que o usuário irá se acostumar em pouco tempo:

— Em 1995, passamos pelo processo de informatização da nossa rodoviária, que foi finalizado em 2001 com o serviço de controle por computador para todas as empresas de ônibus. Com esse projeto, não teremos mais o risco de vender passagens duplas, por exemplo. Nós teremos uma pessoa que ajudará os usuários a comprar a sua passagem. Ela aceitará cartão e dinheiro e dará o troco certinho. É o futuro. As rodoviárias devem passar por esse processo de modernização, se não ficaremos para trás — disse Julio Lara, gerente da estação de São Leopoldo.

Segundo o DAER, um estudo de viabilidade técnica e financeira do projeto será concluído em até 90 dias, após passar pelo crivo do Governo do Estado. O edital deverá ser lançado em dezembro. A expectativa é que na Copa do Mundo os terminais estejam em funcionamento na maioria dos municípios gaúchos.

Dados do terminal de autoatendimento:

– Número de passageiros de ônibus no RS: 50 milhões/ano;
– Quando será instalado: protótipo estará em funcionamento em São Leopoldo, no dia 10 de setembro. No resto do Estado, apenas na primeira metade do ano que vem;
– Custo aos municípios: R$ 0. A empresa que vencer a licitação para instalar os terminais fará acordos com o DAER e com as prefeituras para a operação dos mesmos;
– Como funcionará: Por meio de cartão de débito/crédito e dinheiro. Em algumas zonas maior taxa de criminalidade, apenas cartões serão aceitos. O usuário receberá o troco e a passagem imprimida em mãos;
– Semelhante… a um caixa eletrônico de banco.
– Expectativa: Máquinas devem entrar em operação até junho de 2014, pouco antes da Copa do Mundo começar – se não houver atraso na licitação;
– Empresa que fez o protótipo: Perto, de Gravataí;
– Empresa que fabricou os softwares de uso: Rodosoft, de São Leopoldo.

Fonte: http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/geral/noticia/2013/09/rodoviaria-de-sao-leopoldo-recebera-primeiro-caixa-eletronico-do-rs-4255330.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *