Expressões gauchescas, viaje pelo universo gaúcho

Viajar pelo Rio Grande do Sul é conhecer mais do que belas paisagens, é aprender um pouco mais do dialeto que se fala no sul do país. Em cada canto do estado você se depara com expressões únicas, que surgiram como resultado da colonização espanhola somada à influência de línguas indígenas como o guarani, o que trouxe ao povo gaúcho uma forma de falar e se expressar sem igual no Brasil.
Que tal conhecer  algumas expressões muito usadas pelos gaúchos e que com certeza você ouvirá pelas cidades gaúchas, assim que desembarcar em uma rodoviária do estado.

A cabresto: submetido, controlado
Botar os cachorros: xingar ou brigar com alguém
Cavalo dado não se olha o pelo: não impor condições sobre um presente ou favor recebido
Olhar de revesgueio: olhar atravessado
Desabar o tempo: expressão usada para dizer que vai chover forte
Em cima do laço: imediatamente, em cima da hora
Juntar os trapos: casar, ir morar com uma pessoa
Não entendi patavinas de nada: não entendi o que foi dito
Lamber a cria: mimar o filho
Largar campo a fora: deixar ir embora
Loco de especial: muito diferente, muito especial
Mais bonita que laranja de amostra: uma coisa muito bonita de se ver
Mas tu é xarope: o mesmo que ‘mas tu é chato’
Te larguei para as cobras: desistir de alguém ou alguma coisa
Mais parado que água de poço: muito calmo, muito tranquilo
Frio de renguear cusco: muito frio, frio insuportável
Que galinhagem: brincadeira inconsequente ou sem graça
Mais grosso que dedo destroncado: pessoa grossa, sem educação
Agora tô ferrado: agora estou perdido, sem saída
Essa trova é mais longa que conversa de gago: conversa longa
Mais perdido que cusco em tiroteio: pessoa perdida em uma situação, fora de contextos
Mais faceiro que guri de bombacha nova: pessoa feliz
Não levar qualquer um para compadre: não aceitar a amizade de qualquer pessoa
Que tal: o mesmo que “tudo bem?” ou “pode ser “
Te aprochega mais: chegue mais perto, entre
Estômago frio: pessoa que não sabe guardar segredo
Me caiu os butiá do bolso: ficar impressionado, surpreso com algo
Preteou o olho da gateada: a coisa ficou complicada
Não te faz de salame: não seja sonso, de desentendido
Chamar na chincha: chamar a atenção
Tô no bagaço: estou cansado, no fim das minhas forças
Cabeça de passarinho: pessoa distraída, desatenta
Largar de mão: desistir de algo
Mas que barbaridade, tchê!: expressão para algum fato ruim ou horrível
Andar de rédea solta: pessoa fora de controle, sem comando
Te some da minha frente: sai da minha frente
Te acalma, vivente: fica tranquilo
Vai te deitar: me deixa, sai daqui
Mas é um cabeça de bagre: pessoa sonsa, desatenta
Que indiada: fazer um programa ruim
De orelha em pé: atento
Chorar as pitangas: lamentar algo
Tri afú: muito legal
Tá se achando: pessoa sem modéstia, exibido
Tirei um naco: expressão usada normalmente quando se corta o dedo, ou se machuca
Mais comprido que esperança de pobre: expressão usada para falar de algo grande ou longo
Mas que bicheira: que coisa ruim
Soltou as patas: ser estúpido, rude com alguém
Toca ficha: segue em frente
A laço de espora: expressão usada para falar que algo foi feito com dificuldade, muito esforço
Camaçada de pau: apanhar
Atalhar o caminho: pegar um atalho, um caminho mais curto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *